Pernambuco

ESPORTES

Quase dois anos após incêndio em CT, Flamengo se nega a pagar pensão para as famílias

Time pretender reduzir indenização de R$ 10 mil para R$ 690,00

Brasil de Fato | Recife (PE) |
O Flamengo pediu o encerramento a pensão de R$ 10 mil às famílias das vítimas fatais e redução pela metade do pagamento às famílias dos sobreviventes - Ricardo Moraes

O incêndio no Ninho do Urubu está prestes a completar 2 anos e as famílias das 10 vítimas ainda lutam na justiça para serem indenizadas. O Flamengo pediu o encerramento a pensão de R$ 10 mil às famílias das vítimas fatais e redução pela metade do pagamento às famílias dos sobreviventes. Nesta terça, após o acórdão da sessão da última semana da Décima Terceira Câmara Cível que aceitou o acordo, as 10 famílias entrarão com ação na Justiça para pedir o restabelecimento da pensão.

O Flamengo tentava reformular a decisão sob o valor da pensão desde 2019. A peça inicial feita pela defesa do clube que pedia a anulação da decisão anterior pedia, em último caso, a redução para 2/3 do salário mínimo de pensão no valor arbitrado pela Justiça - o que significa atuais R$ 690 por mês.

Edição: Vanessa Gonzaga